terça-feira, 23 de dezembro de 2008

marcas

Imagem by Oliver Follmi

marcas
do continuum
de uma história
plena de agoras
outrora não vividas
irrompem
de forma abrupta
o despertar do qual tanto anseio.

meu passado que não se fez
é AION
tempo mágico
ah! venha tomar-me
de assalto
e à ti me entrego
à acção vindoura
do que ainda me resta
longe de CHRONOS
faminto e brutal

te quiero
como amante
KAIRÒS
desfigurante
vívido,
pulsante
e não linear

como numa brava magia
de Moiras
dançarinas celebrantes da Vida
esvoaçante
desejante
pra nós.

(deixemos uma celebração lunar atemporal ao ano gregoriano de 2009)

2 comentários:

Ze disse...

Quem inventou o tempo ?
não foi um coronel em trajes espaciais, nem mesmo o dono do carnaval
Poderia ter sido um velho alquimista bêbado cuja memória se perdeu ... no tempo.
Então ficamos assim, ninguém é dono do tempo, e tanto faz uma elipse contínua em direção ao nada ou o todo arrumado colorido sem rumo naquela velha estrada. Naquela antiga máxima, melhor queimar de uma vez que enferrujar ...

Marlowe

Fada do Mar Suave disse...

Um passeio pela poesia e ótimos textos. Aqui será uma passagem obrigatória e feliz.
Maravilhoso estarmos conectados via blog e um desejo de muito sucesso e muita criação.
Beijos para as meninas da Fada do Mar.